O Ministério dos Negócios Estrangeiros congratula-se com a reeleição de Portugal para o Conselho Executivo da Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI), confirmada no decurso da 30ª Assembleia da COI, a 3 de julho, em Paris.

Esta reeleição traduz o reconhecimento do contributo de Portugal no domínio dos oceanos, sendo também fruto do trabalho levado a cabo pelo representante nacional no Conselho Executivo da COI, Professor Luís Menezes Pinheiro, que tem dado continuidade de forma exemplar ao importante legado do Professor Mário Ruivo neste órgão da UNESCO.

Este resultado deveu-se aos méritos intrínsecos da nossa candidatura e a uma intensa campanha da nossa Missão na UNESCO e a diligências da rede diplomática de Portugal realizadas junto de todas as capitais dos Estados-membros da UNESCO.

Portugal atribui uma elevadíssima relevância à COI, que tem como missão principal a observação e a monitorização dos oceanos e a gestão das zonas costeiras, desempenhando um papel fundamental na proteção da diversidade marinha e na promoção do conhecimento, da ciência e do apoio ao desenvolvimento.

A participação de Portugal  na COI reflete claramente a prioridade que Portugal confere à temática dos oceanos – um tema cada vez mais premente face às alterações climáticas -, nomeadamente no quadro da Década das Nações Unidas para a Ciência Oceânica e da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, no âmbito da qual se destaca a segunda Conferência das Nações Unidas dos Oceanos, que terá lugar em Lisboa, em junho de 2020.

Portugal compromete-se a desempenhar o mandato para o qual foi eleito em sintonia com as suas acrescidas responsabilidades nos assuntos do mar, continuando a promover o conhecimento científico dos oceanos ao nível global, numa abordagem multilateral, integrada, dialogante e construtiva.

 

Publicado originalmente no Portal Diplomático

03 julho 2019

  • Partilhe