O Primeiro-Ministro António Costa afirmou que a presença de Portugal como convidado de honra na Feira do Livro de Guadalajara ajudou a «multiplicar as possibilidades de o México e os mexicanos conhecerem» o País.

Em Guadalajara, no encerramento da maior feira do livro internacional da América do Sul, António Costa referiu que a presença de Portugal no evento «foi o projeto prioritário da diplomacia cultural portuguesa no último ano».

O Primeiro-Ministro salientou que a literatura e as artes, presentes num programa cultural português alargado durante uma semana em Guadalajara -, são «fatores de identidade e matéria mediadora» numa relação com um «parceiro incontornável com o qual Portugal está empenhado em reforçar e ampliar as modalidades de cooperação».

No discurso de encerramento, que marcou também o final da visita de dois dias de António Costa ao México, o Primeiro-Ministro recordou José Saramago, salientando que «a literatura e o conhecimento têm um poder fulgurante para, no intervalo curto de duas gerações, transformar a vida e, ao fazê-lo, transformar o mundo».

 

Publicado originalmente no Portal do Governo

Leia aqui o discurso de encerramento na íntegra.

  • Partilhe